«The place you will come to may be black, something you would disown, but if you have found yourself there, that is so far home; you will either domesticate that, naturalize yourself there, or you will recover nothing.» (Stanley Cavell) | setadespedida@yahoo.co.uk

quinta-feira, 18 de outubro de 2007

No filme de Tacita Dean, Hamburger fala só das suas macieiras «obsoletas e obsolescentes» cujos frutos ninguém quer comer, da origem destas árvores, dos métodos a que recorreu para as instalar no pomar, geralmente usando pevides oferecidas ou encontradas e não o tradicional enxerto, com destaque para uma árvore com origem num fruto do jardim de Ted Hughes, capaz de produzir as mais escuras maçãs vistas por ambos os poetas.
A desordem da casa, o jardim ameaçando invadir o edifício, o ruído do vento, o sol através das nuvens. Ceci n'est pas une pomme. Falar de maçãs para falar de si.
Para quando, na Cinemateca, algumas sessões dedicadas a Tacita Dean?

Arquivo do blogue